O Muhammad Ali

A Vida do Muhammad Ali

Cassius Marcellus Clay Jr nasceu  em 17 de janeiro de 1942 em Louisville, Kentucky, Estados Unidos.


Ele cresceu num universo de segregação: na escola, na igreja, nos espaços públicos o mundo era separado em duas Américas, uma preta e a outra branca. 


Clay teve seu primeiro contacto com o boxe aos 12 anos através do polícia Joe Martin. A historia conta que o Clay enervado queria bater em um ladrão que roubou sua bicicleta. Então o polícia e instrutor de boxe Joe Martin lhe disse para aprender boxe. 
O Jovem Clay começa então a aprendizagem do boxe dizendo que um dia seria campeão…


Ele conquista vários títulos o que lhe levou a participar as Olimpíadas de Verão de 1960 em Roma onde conquistou a medalha de ouro na categoria meio-pesado.


A sua forma de combater bem diferente do costume o torna famoso. Ele lutava com os braços o longo do corpo, sem proteger o rosto como se faz habitualmente. Usando mais as esquivas e deslocamentos o que torna os seus combates espectaculares. 


Mas nem é só com a sua forma de combater que ganha fama mas também na sua forma de falar ! Ele usava a provocação e poemas onde predizia a sua vitoria contra seus adversários, o que com certeza era uma estratégia psicológica bastante interessante e eficaz.


A parte psicológica é bastante importante num combate… Alias em tudo na vida, e ele bem o sabia.
Foi assim que em 1964 chegou a lutar contra Sonny Liston, muito bom lutador mas também conhecido por sua proximidade com a mafia.
Com a sua grande auto-confiança, determinação aliado a uma boa estratégia ele torna-se campeão do mundo.ganhando contra o Liston. (“I am the Greatest !”)

Torna-se, assim, o mais novo pugilista a conquistar o título.
No dia a seguir a vitoria, o Clay anuncia aos jornalistas que se tinha convertido ao islão e que era membro da Nação do Islã e que a partir de agora renunciaria ao seu nome de escravo e passaria a se chamar Cassius X… Pouco tempo depois aceitou o nome de Muhammad Ali.  


Ele tinha convidado o Malcolm X a assistir ao combate para o título mundial, embora já se encontrasse suspenso da Nação do Islã, Para quem não sabe O Malcolm X foi um dos maiores defensores dos direitos dos negros nos Estados Unidos e foi assassinado em 1965. Na altura houve um conflito entre o Malcolm X e a nação do islão, e ambos queriam ter o Muhammad Ali perto deles.

O Ali os deixou também mas uns anos mais tarde para integrar o Islã sunita e um dia chegou a dizer : “Gostaria de ter dito a Malcolm que lamentava, que tinha razão em tantas coisas…”


O Muhammad Ali ja tinha sido visto com estas pessoas antes deste evento e isso quase provocou o cancelamento do combate para o titulo mundial.

O ano seguinte ele vence novamente o Liston mantendo o titulo.
Em 1966 a carreira dele toma uma mudança radical, ele sofreu nenhuma derrota em 30 combates profissionais. Campeão do mundo e sem adversário para lhe fazer concorrência, o governo americano muda os critérios para entrar no exército, deixando o Ali apto para alistar-se para o Vietname.


Isto o deixa furioso… Terá dito na altura: «Nenhum vietcongue me chamou de crioulo, porque é que eu lutaria contra ele?». Foi condenado a 5 anos de prisão, retiraram-lhe o título mundial, foi proibido de combater durante três anos e teve 10 000 dólares de multa. Mas por sorte evitou a prisão…

Temos de perceber que um campeão como ele se teria ido para a guerra seria mais de forma exemplar do que para combater, sabendo também que na altura onde ele recusou ainda uma maioria estava a favor da guerra, ele fez então prova de coragem afirmando os seus valores, ele tinha muito a perder e mesmo assim recusou …


Em 1967, esteve com o seu amigo Martin Luther King, em Louisville para apoiar a luta da população local.


Só voltaria aos ringues em outubro de 1970, num combate frente ao adversário Jerry Quarry, que venceu num rápido knockout.
Em março de 1971, sofreu uma pesada derrota frente ao Joe Frazier, num combate chamado “combate do século”. No entanto, três anos depois, e sem ninguém estar à espera, Muhammad Ali volta a tornar-se campeão do mundo num combate histórico realizado no Zaire, frente a George Foreman.

Apesar da visível inferioridade física face ao adversário, Muhammad Ali se tornou campeão mundial pela segunda vez.  E mais tarde acabou afinal por ganhar dois combates contra o Frazier…  Perdeu o titulo de campeão mundial em 1978 contra Leon Spinks e em seguida retomou-o de Spinks. Tornando-se o primeiro pugilista a conquistar o título mundial 3 vezes.

Em 1984, aos 42 anos, Muhammad Ali seria confrontado com aquela que viria a ser a maior e mais dolorosa batalha da sua vida: foi-lhe diagnosticada a doença de Parkinson. Doença que provoca tremores e diminuição da força muscular foi bastante visível na cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos de Atlanta, em 1996, quando ele acendeu a tocha olímpica com alguma dificuldade… Recebeu o aplauso emocionado de todos.


Muhammad Ali foi eleito personalidade desportiva do século pela BBC.
Sem duvida que podemos o considerar como sendo um grande Homem.
Ele  até salvou uma pessoa do suicídio. A pessoa em causa tentava, em 1981, suicidar-se atirando-se de uma janela do 9º andar de um prédio.

Ele Nunca deixou de participar ativamente na luta por diversas causas sociais, Muhammad Ali negociou com Saddam Hussein a libertação de 14 reféns americanos no Iraque, em 1990. Foi também nomeado Mensageiro da Paz pela ONU e condecorado com a Medalha Presidencial da Liberdade, a maior honra civil norte-americana.

“Eu odiava cada minuto dos treinos, mas dizia para mim mesmo: Não desista! Sofra agora e viva o resto da tua vida como um campeão.”
Muhammad Ali morreu nos Estados Unidos, aos 74 anos, no dia 3 de junho de 2016, vítima de uma doença degenerativa.

Ela será para sempre uma lenda do boxe … Um campeão da vida… Um exemplo para toda pessoa que luta contra qualquer tipo de discriminação. Ele era e será para sempre uma fonte de inspiração e motivação.

«O impossível é apenas uma grande palavra usada por gente fraca, que prefere viver no mundo como ele está, em vez de usar o poder que tem para mudá-lo, melhorá-lo. Impossível não é um facto. É uma opinião. Impossível não é uma declaração. É um desafio. Impossível é hipotético. Impossível é temporário. O impossível não existe» Muhammad Ali

“Flutuar como uma borboleta e picar como uma abelha.” Muhammad Ali

O Muhammad Ali